Dor no calcanhar

A dor no calcanhar é uma condição bastante comum. Ela é usualmente causada por uma inflamação de um tecido conectivo na planta do pé conhecido como fáscia plantar.

A causa desta inflamação (a qual é conhecida como fasciíte plantar) frequentemente permanece desconhecida. Algumas vezes uma lesão sobre o pé (até mesmo uma pequena lesão como o uso de calçado inadequado) pode desencadear esta inflamação. O esforço repetitivo no pé durante atividade física também pode ocasionar esta inflamação.

A dor no calcanhar é comum em mulheres. O uso prolongado de sapatos com salto alto pode levar ao encurtamento do tendão de Aquiles. Quando o pé é posicionado plano sobre o solo (quando a mulher usa o sapato sem salto ou quando anda descalça) o tendão de Aquiles que está encurtado coloca uma sobrecarga sobre a fáscia plantar.

O início da dor geralmente é gradual e ocorre em somente um dos pés. Tipicamente a dor é pior pela manhã ou após permanecer sentada durante um período prolongado.

Em vários pacientes a dor do calcanhar melhora sem tratamento, mas pode durar durante vários meses ou até mesmo anos até que haja essa melhora. O tratamento é basicamente não cirúrgico consistindo de uso de anti-inflamatório oral, exercícios de alongamento para o tendão de Aquiles, gelo e em algumas situações uso de palmilhas específicas para que haja o completo alívio dos sintomas. O uso de infiltração com corticosteróide o qual já foi bastante utilizado no passado, hoje deve ser usado com bastante cautela já que a infiltração indevida da fáscia plantar pode fazer com que haja uma ruptura da mesma fazendo com que o paciente apresente sintomas de difícil tratamento à longo prazo.

Em alguns casos o aparecimento de uma dor no calcanhar pode ser causada por uma doença auto imune, como por exemplo, esclerodermia ou artrite reumatóide. De fato, a dor no calcanhar pode ser o primeiro sintoma da artrite reumatóide, por exemplo. Quando os sintomas do paciente, o exame físico, e as alterações radiográficas não seguem um padrão consistente com fasciíte plantar, deve-se suspeitar de uma patologia auto imune associada.

O paciente deverá ser questionado sobre sua história pessoal de dor no sistema osteo-articular e se há história na família de alterações reumatológicas. Se a presença de uma doença auto imune é suspeitada, deverá ser realizado exames laboratoriais específico para sua detecção e tratamento apropriado.

A dor no calcanhar pode ter outras origens fora a fasciíte plantar, podem ocorrer também uma bursite infracalcaneana ou compressão de um nervo sobre a região também causando dor de maneira bastante similar a encontrada a fasciíte plantar. Outra patologia que pode causar dor no calcanhar é a fratura por estresse no calcâneo a qual somente é detectada através da ressonância magnética, pois muitas das vezes a radiografia inicialmente é normal. A importância de diferenciar essas patologias está baseada em que cada tipo de alteração irá necessitar de um tratamento específico. Para a maioria dos pacientes com dor no calcanhar o alívio da dor pode ser alcançado com o tratamento não cirúrgico e com suporte, embora algumas vezes o tratamento prolongado pode ser necessário. Os exercícios de alongamento do tendão de Aquiles são vitais para qualquer regime de tratamento. O uso de palmilhas, anti-inflamatórios e fisioterapia também são utilizados. Se todas as medidas conservadoras falharem aí estará indicada o tratamento cirúrgico para a deformidade.

O tratamento cirúrgico deve ser considerado como tratamento de última linha. O procedimento usual consiste da liberação de uma parte da fáscia ou então a liberação de um nervo que pode ser comprimido na região do calcanhar.